16 de abr de 2012

Agricultores se empenham no plantio de Pinhão Manso

Pinhão Manso -Propriedade do Sr. Zeca Ponte, plantado no mês de março/ 2012.
Descrição 
Nome científico: Jatropha curcas L
Família botânica: Euphorbiaceae
Nomes populares: Pinhão-paraguaio, pinhão-de-purga, pinhão-de-cerca, purgante-de-cavalo, manduigaçu, mandubiguaçú, figo-do-inferno, purgueira, mandythygnaco, pinhão croá.


O pinhão pertence à família das Euforbiáceas, a mesma da mamona e da mandioca. Segundo Cortesão(1956), os portugueses distinguem duas variedades, catártica medicinal, a mais dispersa no mundo, com amêndoas muito amargas e purgativas e a variedade árvore de coral, medicinal-de-espanha, árvores de nozes purgativas, com folhas eriçadas de pêlos glandulares que segregam látex, límpido, amargo, viscoso e muito cáustico. A proposta de plantar Pinhão Manso é de incluir mais uma planta no sistema florestal das famílias.

É um arbusto grande, de crescimento rápido, cuja altura normal é dois a três metros, mas pode alcançar até cinco metros em condições especiais. O diâmetro do tronco é de aproximadamente 20 cm; possui raízes curtas e pouco ramificadas, caule liso, de lenho mole e medula desenvolvida mas pouco resistente; floema com longos canais que se estende até as raízes, nos quais circula o látex, suco leitoso que corre com abundância de qualquer ferimento. O tronco ou fuste é dividido desde a base, em compridos ramos, com numerosas cicatrizes produzidas pela queda das folhas na estação seca, as quais ressurgem logo após as primeiras chuvas (Cortesão, 1956; Brasil, 1985).

Ainda de acordo com Cortesão (1956) e Brasil (1985), as folhas do pinhão são verdes, esparsas e brilhantes, largas e alternas, em forma de palma com três a cinco lóbulos e pecioladas, com nervuras esbranquiçadas e salientes na face inferior. Floração monóica, apresentando na mesma planta, mas com sexo separado, flores masculinas, em maior número, nas extremidades das ramificações e femininas nas ramificações, as quais são amarelo-esverdeadas e diferencia-se pela ausência de pedúnculo articulado nas femininas que são largamente pedunculadas.

12 de abr de 2012

Visita de Intercâmbio Ceará e Pernambuco


Nos dias 02 a 05 de abril de 2012 o Instituto Carnaúba juntamente com o representante do Sistema Florestal Brasileiro - Dr. Newton Barcellos (Rio Grande do Norte) com um grupo de Assentados de Reforma Agrária dos municípios de Sobral e Marco Ceará, foram recebidos pela Instituição Pernambucana, PLANTAS DO NORDESTE - PNE, que apresentou os resultados dos planos de manejos Florestais realizados em 25 áreas de assentamentos rurais de Pernambuco.
Esta atividade é resultado do Projeto Rio, Educação, Floresta e Desenvolvimento Sustentável realizado pelo Instituto de Ecologia Social Carnaúba em parceria com o FNMA - Fundo Nacional de Meio Ambiente com recursos do Plano Nacional de Floresta - Convênio 23/2006.